Dia da Mulher, 8 de março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

 
A manifestação foi reprimida com total violência e o dia ficou marcado como um símbolo de luta por igualdade de condições salariais.
 
Em 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher“, em homenagem as mulheres de 1857. Um ano depois, um incêndio numa fábrica de tecidos também em Nova York que apresentava péssimas condições de trabalho matou cerca de 130 tecelão, o que gerou uma grande onda de protestos por melhores condições de trabalho no mundo todo em memória das mulheres vítimas do incêndio, o que acabou reforçando a data como uma forma de memória da luta das trabalhadoras.
 
No ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).
A data é um símbolo que lembra que todos os direitos e melhores condições de trabalho que as mulheres possuíam atualmente não vieram de graça: foi preciso muita luta e sacrifício para serem conquistados!

 

 

Segue agora textos e mensagens sobre a mulher enviada por um associado:

Mais do que ser brisa. E ondular searas e flores. Mais do que ser sol. E inebriar o mundo de mil cores. Acima do que já houve. Do de que há e ainda houver. Está a bênção insuperável, extasiante e inigualável de ser tão somente MULHER!”

Segue agora textos e mensagens sobre a mulher enviada por um associado:

“Deus extrai o ideal dos prantos doces borrifados na tez das flores meigas; lança no molde a languidez da tarde, a calma santa das etéreas veigas; no seio das manhãs colhe perfumes, das entranhas dos céus tira o amor!… Insigne obra, que a Deus mesmo custa, nasceu, e n’alma da mulher augusta abrigou-se a bondade do Senhor…”

“Mulher, símbolo de sensibilidade. És a glória do homem, fonte terna de amizade, pérola de inestimável valor. Âncora férril da imaginação, manancial profundo de amor. Alma misteriosa, tens inexplicável poder. Poder de conciliar trabalho, emoção, lar. Mestra na arte de amar, tens especialmente um dia escolhido para te homenagear.”

“Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende. Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.”

“Ser mulher é viver mil vezes em apenas uma vida, é lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora, é estar antes do ontem e depois do amanhã, é desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos. Ser mulher é acima de tudo um estado de espírito, é ter dentro de si um tesouro escondido e ainda assim dividi-lo com o mundo.” (homenagem para o Dia Internacional da Mulher)

Contribuição feita pelo associado João Batista de Paula (20ª R.S Toledo Pr)

Link permanente para este artigo: https://www.assef.org.br/portalassef/dia-da-mulher/